Enterro da Tristeza

Concentrados desde as 15 horas na antiga rodoviária da Capital – esquinas das avenidas Mauro Ramos e Hercílio Luz – a saída do “cortejo fúnebre” está prevista para pouco depois das 19 horas, tomando o rumo da Hercílio Luz. Assim que eles saírem, o trânsito da avenida no sentido Gustavo Richard- Crispim Mira será desviado pela rua Anita Garibaldi.

24_8

No sentido contrário, após saída dos foliões, o tráfego será desviado pela rua Emílio Blum, sendo novamente liberado assim que o séquito alcançar a rua Anita Garibaldi. Deve haver desvio também para os motoristas que trafegam pela Arcipreste Paiva em direção à praça XV de Novembro: nesse caso, o trajeto deverá ser cumprido pela rua Vidal Ramos.

O Enterro da Tristeza segue pela Hercílio Luz, Anita Garibaldi, rua do Ilheus e praça XV. Assim que os foliões forem passando, o tráfego será liberado. O fim do cortejo é no largo da Alfândega. No mapa produzido pela GMF, as alterações no trânsito.

Enterro da Tristeza muda trânsito no Centro na Região da avenida Hercílio Luz deverá ser bloqueada durante a passagem do cortejo
11_02_2015_17_06_b283bc09148734ab32ff3aadd53fae9b
foto/divulgação: GMF

No mapa, as opções para o trânsito bloqueado

 

O tradicional Enterro da Tristeza vai provocar alterações no trânsito na região da avenida Hercílio Luz nesta quinta-feira (12), segundo a Guarda Municipal de Florianópolis. A avenida terá o tráfego interrompido – nos dois sentidos – quando começar o desfile, sendo restabelecido após a passagem dos foliões.

Fonte: PMF

Praia da Armação e Matadeiro

Localizadas no sul da Ilha a 25 km do centro, antiga armação baleeira (local onde se extraia o óleo das baleias para a produção de eletricidade e de uma espécie de argamassa) a Armação hoje é um dos principais núcleos de pesca artesanal, que encanta à todos com a cena dos coloridos barcos atracados em suas águas. Possui infraestrutura com alguns restaurantes que servem peixe fresco.

 armacao

Em frente à praia encontramos uma das mais antigas Igrejas da cidade, construída em 1772. No ultimo final de semana do mês acontece ali perto, a Feira do Cacareco, com exposição de artesanato e brechó, além de apresentações culturais, tais como musica e capoeira.

6147894198_a9a8eec063_z

Do trapiche da praia da Armação, localizado na Ponta das Campanhas, partem os barcos com destino à Ilha do Campeche. Este é um bom local para contemplação, pesca e observação de baleias, pois ha um extenso gramado seguido de um costão.

 IMG_1394

A Praia vizinha chama-se Matadeiro e recebeu este nome, pois era ali que as baleias capturadas a partir da Armação eram abatidas. Apesar do nome sombrio, é uma linda praia de apenas 850 mt protegida por um morro e com acesso por uma ponte a partir da Praia da Armação e uma trilha curta. O local é, sobretudo procurado pelos surfistas que fogem da muvuca das praias da Joaquina e Mole, mas também por pessoas que curtem a natureza e famílias com crianças, que adoram tomar banho nas águas do sangradouro da Lagoa do Peri que desemboca nesta praia.

armacao-Sul-da-Ilha-a-24-km-do-Centro-de-Florianopolis-com-acesso-pela-Via-Expressa-Sul-SC-405-e-SC-406-com-entrada-pela-Avenida-Antonio-Borges-dos-Santos

Na parte sul encontra-se uma linda trilha de aproximadamente 2 hr, que atravessa o costão da acesso à Lagoinha do Leste.

7688677670_c319c92333_z

 button

Museu Histórico de SC – Palácio Cruz e Sousa

Instalado no Palácio Cruz e Sousa – um casarão do século 18 que mistura os estilos neoclássico e barroco – o Museu Histórico de Santa Catarina tem interior majestoso. Antiga sede do Governo, abriga balcões em mármore de Carrara, balaustradas, trabalhos em marchetaria com influência portuguesa e vitrais em estilo art nouveau. No acervo estão mobiliário, utensílios e obras de arte adquiridas pelos governantes.

672736216-XG

  • Endereço:

    Florianópolis, Centro – Praça XV de Novembro, 227

  • Tel:

    (48) 3028-8091

 button

Praia dos Ingleses

Localizada no norte da Ilha de Santa Catarina, a praia dos Ingleses é considerada uma das mais belas praias do Brasil. Com aproximadamente 5 km de extensão, a praia é reconhecida por suas águas calmas e cristalinas, areias brancas, dunas e muitas gaivotas. Devido a sua beleza natural e a receptividade de seu povo, a praia dos Ingleses tem sido um dos pontos turisticos mais destacado e frequentado da ilha de Florianópolis.

paixao-de-verao-ingleses-5Nas últimas décadas, tem atraído pessoas de todas as regiões do Brasil e dos países vizinhos, o que transformou a antiga vila de pescadores no atual balneário. Com excelente infra-estrutura, atualmente Ingleses é uma das praias mais urbanizadas da ilha, e privilegiada pelas belas paisagens naturais.

No século 18 a Ilha de Santa Catarina foi dividida em freguesias, devido a grande migração de açorianos. Ingleses passou a fazer parte da Freguesia de São João Batista do Rio Vermelho (fundação em 1831). O nome da praia deve-se a um navio inglês que encalhou no local. Existem duas hipóteses para o destino do navio. A primeira diz que ele desencalhou e seguiu seu rumo, deixando alguns tripulantes na Ilha. A outra diz que ele naufragou.fotos_capa_2011

945096_481081675295921_450535721_nRestaurante Paixão de Verão é um dos pioneiros no ramo turístico da Praia dos Ingleses. Localizado a 8 metros do mar e do “centrinho” de ingleses, o restaurante é administrado pelo proprietário e sua família há mais de vinte anos. Inicialmente, no ano de 1979, o Paixão de Verão era apenas um quiosque, simples, que servia aos turistas e a comunidade em geral, algumas delícias açorianas, como caldo de cana, milho verde entre outros.

Com a melhoria da infra-estrutura do bairro e o reconhecimento da beleza natural da praia, Ingleses passou a atrair a atenção muitas pessoas do Brasil e de países vizinhos, que vinham desfrutar da exuberância local. Sendo assim, a familia Silveira, percebendo a necessidade de ampliação, investiu no ramo, e atualmente, é um dos restaurantes mais tradicionais e renomados do norte da ilha.

O Restaurante Paixão de Verão é especializado em frutos do mar, mas também conta com outros tipos de pratos, como massas, carnes, frangos entre outros. Destaca-se por sua localização (frente para o mar e para a avenida central de Ingleses), pelo belo e aconchegante ambiente, e principalmente pelo sabor especial dos pratos da casa, bem como pelo excelente atendimento. O Paixão de Verão, está aberto durante o ano todo, para receber seus clientes e amigos. Venha conhecê-lo .


paixao-de-verao-ingleses-6  

Conheça o Restaurante Paixão de Verão no tripadvisor 

Aceita reservas‎: Sim ‎
Espaço para festas‎: Sim ‎
Estacionamento disponível‎: Sim ‎
Funciona o ano todo‎: Sim
Aceitamos as seguintes formas de pagamento: DINHEIROVISA VISA ELECTRONMASTERCARDMAESTRO AMERICAN EXPRESS

 

 button

 

Horto Florestal – Parque Ecológico do Córrego Grande

A área onde está localizado o Parque Ecológico do Córrego Grande era, até os primeiros anos do século passado, uma chácara para produção de leite, cuja vegetação era composta por capim-melado e capim-gordura. Na década de 1940, o governo fez da área uma base para reflorestamento com pinus e eucaliptos. Mas, a partir de 1991, essas árvores foram sendo gradativamente substituídas por espécies nativas.

horto_7O Parque Ecológico Municipal Prof. Davi Ferreira Lima, nome oficial do parque de 22 hectares também conhecido como Horto Florestal, foi aberto ao público em 1994 no bairro Córrego Grande, região central de Floripa.

O estacionamento com apenas 20 vagas é oferecido preferencialmente aos portadores de necessidades especiais. Dentro do parque existem dois lagos, três trilhas (chamadas Palmiteiro, Pau-Jacaré e Garapuvu) e uma pista de caminhada de 1,1 km. Também há um parque infantil, uma academia de ginástica ao ar livre e duas quadras de vôlei de areia.

Além de uma grande variedade de plantas nativas, o parque apresenta fauna composta por animais domesticados (como patos, coelhos e galinha), um grande número de pássaros que ali encontram abrigo (biguás, garças, araquãs, papagaios, tucanos, gralhas), pequenos mamíferos como saguis e gambás, e répteis como jabuti, cágados e jacarés-do-papo-amarelo.

O parque é a sede do departamento de educação ambiental da Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente), que ministra cursos de conscientização ecológica nas escolas e oficinas de reciclagem de papel e óleo de cozinha no local.

Fonte: http://goo.gl/aPiLgz

 button

Retrospectiva da carreira da artista catarinense ELI HEIL

Entre 10 de dezembro e 22 de março de 2015 o Museu de Arte de Santa Catarina, Florianópolis, exibe 180 obras, entre desenhos e pinturas, da “outsider” catarinense nascida em 1927.

Convite_topo

A abrangente retrospectiva ocupa todo o museu e apresenta a evolução da obra da artista desde o início da década de 60, quando foi lançada nacionalmente pelos críticos João Evangelista de Andrade Filho e Walter Zanini. Em destaque, três grandes painéis, dois de 22 m e um de 32 m de comprimento, pintados entre 2002 e 2008, expostos pela primeira vez. Nestes mais de 50 anos de atividade, apesar do inevitável contato com a arte tradicional, como individuais no MAC-USP, MARGS e Museu de Arte da Brasília, e coletivas, como na Bienal de São Paulo, Bienal de Liubliana ou no Museu Louisiana, na Dinamarca, Heil se manteve fiel ao seu imaginário, alheia à arte do passado e do presente, voluntariamente enclausurada em seu “Mundo Ovo”. Ao invés de adotar os conceitos da arte atual, assistiu a incorporação da arte “outsider” ao universo da arte contemporânea.

Convite_rodape

Fonte: http://goo.gl/enwZnr

 button

Um passeio de bike que Contém AMOR!

A ONG Projeto Autonomia tem o intuito de cuidar, através de terapias e esportes aquáticos, de crianças e jovens portadores de necessidades especiais.

Vídeo: Bruno Darós e Luis Henrique | Entrevista e edição: Diego Darós | Música: Comunidade das Nações – Sorria
Um vídeo realizado por Asas para Voar

 Você que está em Florianópolis, dê uma passadinha no Trapiche da Beira Mar (todos os dias a partir das 14h) ou na Pedra Branca (Finais de semana), além de dar um passeio com as bikes, você contribui para uma boa causa.

10703977_543827779050312_5939983963672481762_n

A ONG Projeto Autonomia Aquática foi criada em 2006 na cidade do Rio de Janeiro com o intuito de cuidar, através de terapias e esportes aquáticos, de crianças e jovens portadores de necessidades especiais.

O trabalho da ONG foca todas as suas ações nos princípios inclusivos e de acolhimento à diversidade. O público-alvo são famílias, crianças, adolescentes e jovens portadores de necessidades especiais, cuidadores e principalmente às mães, que tem um acompanhamento com terapias alternativas e manuais.

Em 2009, a professora Andrea Monteiro, mentora e coordenadora do Projeto Autonomia Aquática, iniciou as atividades no município de Florianópolis, com a comunidade do Campeche, atendendo famílias encaminhadas pelo Posto de Saúde local. Para tanto, contou com a iniciativa privada da Academia Sotália, que cedeu um horário da piscina para o desenvolvimento das atividades.

Em 2011, a Universidade Estadual de Santa Catarina – UDESC de Coqueiros abraçou a ONG e apoiou na logística, hoje fazemos parte do projeto de Extensão, atendemos a Grande Florianópolis, os encaminhamentos veem das APAES, Postos de Saúde e Escolas Públicas. Ao longo dos três anos já foram beneficiadas mais de 40 famílias neste projeto.

A continuidade e a viabilidade dos projetos da ONG são possíveis devido aos profissionais voluntários da área de fisioterapia e educação física, e através da parceria com instituições de ensino, doações de empresas privadas e pessoas físicas.

A ONG também conta com o aluguel das Tribikes (triciclos) por um valor sugerido para passeio em parques e ciclovias, e este benefício é o que mantém o Projeto Social Autonomia Aquática em Florianópolis.

Em 2012 aumenta a incidência da procura pelo projeto com o diagnóstico de Autismo.

10682199_545405168892573_7426202954111754621_o

10676396_545405238892566_5561628747171834411_n

10801553_565019010264522_4558707095855871995_n

 

A ONG Autonomia Aquática apoiando os autistas criou o “Projeto Artistas Autistas” que surtiu com imenso efeito diante à sociedade. Neste projeto desenvolvemos a capacidade, o talento dos autistas que iam se despontando através do esporte.

No trabalho com o autismo a ONG Projeto Autonomia lançou o programa de inserção no mercado trabalho, criando uma autonomia financeira e fortalecimento das relações afetivo sociais, pois os autistas sofrem pela dificuldade de comunicação e de relacionamento social. O Projeto Autonomia acompanha a adaptação dos autistas contratados em parceria com as empresas.

ONG Projeto Social Autonomia Aquática.

 button


 

10502378_564978206935269_4163641688936959570_nDiretora da ONG: Andrea Monteiro
Missão: O trabalho da ONG foca todas as suas ações nos princípios inclusivos e de acolhimento à diversidade.
Telefone: (48) 9640-6444
E-mail[email protected]
Facebook: https://www.facebook.com/ong.autonomia/

 

 

Praia da Joaquina

Praia da Joaquina é uma praia oceânica da cidade brasileira de Florianópolis, ao leste da ilha de Santa Catarina, ao sul do Brasil. O ponto procurado por surfistas, já foi sede de alguns campeonatos mundiais de surfe.

large

A denominação da praia é recente, aparecendo pela primeira vez em mapas a partir de 1975. Até então, era chamada de praia do Campeche. A Praia da Joaquina pertence ao Distrito da Lagoa da Conceição e dista 15 km do Centro da Cidade de Florianópolis na direção nordeste. Possui 3.000 metros de extensão e sua largura varia de 8 a 70 metros. A Praia da Joaquina, ou Joaca, foi descoberto por surfistas, primeiro os brasileiros e depois os estrangeiros, a partir da década de 1970.

praia-da-joaquina-sc-foto-joaquinasurfescola-blogspot-com-120314132031Joaquina é um dos lugares mais procurados por sufistas e esportistas em geral, todos os dias têm partidas de futebol na areia, futevôlei, corredores, etc. Além de contar com boa estrutura para banhistas, com sanitários, chuveiros, posto policial, salva-vidas, iluminação noturna, etc.

A praia da Joaquina é também conhecida pelo criativo “surfe sobre as dunas” ou Sandboard, uma variação do surfe tradicional e que acontece sobre as grandes e belas dunas que contornam a praia. A “Joaquina”, como normalmente é conhecida, tem início no final da Praia do Campeche e seu término acontece na Ponta do Retiro.

Conta-se que o nome teria sido dado em homenagem a Dona Joaquina, moradora das praias do leste da ilha de Santa Catarina, que ensinava as outras mulheres do local a fabricar utensílio domésticos de linhas entrelaçadas, além de alimentar os pescadores que compareciam à sua casa.

Segundo a lenda, ela teria sido tragada pelas ondas do mar da região.

joaquina_1_1Dizem que aproximadamente em 1850 ela realizava seus trabalhos nas pedras do costão daquela praia deserta e sem nome. Um dia distraida pela magia do lugar não percebeu o tempo passar e nem a maré subir. Ela foi levada pelo mar junto com suas rendas, que a possibilitaram flutuar até sumir.

Esta história é contada pelas rendeiras da região e por um seu descendente, entretanto sem prova documental, que o nome derive de Joaquina Rosa de Oliveira Costa, filha dos 2os. Barões da Laguna, Jesuíno de Lamego Costa e Leonor Auta de Oliveira. O Barão era senador por Santa Catarina no império, e a família tinha terras na área. Joaquina Rosa casou-se com Antonio Gomes de Mattos Jr., falecido em 1893, considerado o patrono da indústria naval brasileira.

Nesta Praia também é possível visualizar grande quantidade de oficinas líticas de indígenas que habitaram a região. Algumas sinalizações são em área de dificil acesso e outras já estão extintas, porém bacias de polimento e afiadores em rochas de granito e basalto são de facil visualização na orla esquerda da Praia e era o local onde os indígenas faziam suas ferramentas.

Fonte: http://goo.gl/nVUUag

 button

Santo Antônio de Lisboa

Encravado no norte da ilha de Santa Catarina o distrito de Santo Antônio de Lisboa é formado além de Santo Antônio, pelos bairros de Sambaqui, Barra de Sambaqui e Cacupé.

santo_antonio_1_2Apesar de fazer parte de uma cidade em franca expansão econômica e tecnológica, Santo Antônio de Lisboa é um lugar único, com uma cultura própria e pulsante, vivida em um processo de renovação constante como resultado do dia a dia das pessoas que aqui estão e de toda a sua história, que se faz presente por todos os lados para onde olhamos.

As festas religiosas, as manifestações do folclore local, os diversos e frequentes eventos culturais, a produção de artesanato e cerâmica, o cultivo de ostras, os eventos organizados pelas diversas entidades da região como o Clube Avante, o Bloco Baiacú de Alguém e as associações de bairro, além da magnífica paisagem e do casario antigo fazem daqui um lugar muito interessante para se viver ou visitar em qualquer época do ano.

Pode-se dizer que os elementos dominantes na paisagem desta região são o mar e as construções antigas, algumas do século XVIII.
A vista do mar de Santo Antônio traz alegria aos olhos de qualquer pessoa, independentemente da hora do dia ou da estação do ano, tanto pela beleza natural quanto pela presença dos barcos ao longo da costa.

As casas antigas, testemunhas dos tempos da Freguesia de Santo Antônio como o principal entreposto comercial da ilha compõem com a paisagem natural o clima deste lugar belíssimo.

Fonte: http://goo.gl/WqLPTj

Fotos: VivendoFloripa

 button

Centro Histórico de Florianópolis

Ao se deparar com tantas praias e outros lindos visuais, poucos têm interesse em conhecer sobre história ou cultura da cidade. Mas vale a pena, sim, conhecer o Centro Histórico de Florianópolis, que concentra importantes pontos turísticos e culturais da cidade, tais como a Catedral Metropolitana, a figueira da Praça XV de Novembro, o Museu Victor Meirelles e o Palácio Cruz e Souza. Uma passada no Mercado Público, seja para comprar artesanato ou para comer um camarão, também é um ótimo programa.

mercado_5

 button